Os perfis de alumínio podem ser tratados, isso é receber os seguintes tratamentos: anodização e pintura eletrostática.

Anodização:

A Anodização é um processo científico de oxidação forçada, com parâmetros eletroquímicos controlados, aplicado somente ao alumínio e suas ligas específicas (extrudados: ABNT 6060 e 6063; Laminados ABNT 1050;1100; 5005; 5052; e 5357), onde o metal AI é transformado em película superficial protetiva. Este filme anódico de espessura controlada capaz de alcançar um grau de dureza que varia entre 7 a 8 na escala Mhos, que é também poroso, anidro e transparente, chama-se Oxido de Alumínio ou Alumina (A12 03).

O Alumínio e suas ligas ao estar em contato permanente com o ar urbano, marinho ou industrial estará sujeito a ação de agentes oxidantes e resíduos agressivos tais como: acúmulo de poluentes e pó, grãos abrasivos, teor de sais, fumos industriais e produtos químicos. Portanto, para que haja durabilidade da estrutura é indispensável um tratamento adequado, seja Anodização ou Pintura. Caso contrário, o metal sofrerá com a ação dos agentes atmosféricos mencionados, deteriorando-se em curto espaço de tempo.

Atualmente é o tipo de Anodização mais utilizado na construção civil, por ser produzida com camada mínima de 11 mícrons, podendo ir até 25 mícrons, capaz de oferecer diversidade nas tonalidades de cor, possibilitando também várias combinações com os demais acabamentos. Opera com temperatura de 200C e tensão de 16V.

Pintura Eletrostática:

As bases mais comuns no processo de fabricação de tintas destinadas à pintura eletrostática a pó de resinas mais utilizadas são:

Epoxy
Indicada para ambientes internos altamente agressivos (atmosfera ácida ou alcalina), possui grande poder de aderência, e alta resistência ao impacto.

Poliester
De uso exterior apresenta grande resistência a calcinação e ao intemperismo e maresia, muito utilizada em alumínio ou aço arquitetônico desde que galvanizado.

Hibrida
Fabricada a partir de uma composição de Epoxy-Poliester é recomendada para uso em ambientes internos, eletrodomésticos, móveis e decorações.

O processo de pintura eletrostática funciona da seguinte forma: A tinta a pó uma vez agregada a superfície passa posteriormente por estufa aquecida com temperatura controlada variando entre 190º C e 220º C, por um período de tempo de 10 minutos. Para que o entrelaçamento das cadeias poliméricas forme um filme seguro e rígido, é necessário que a temperatura efetiva na superfície do metal passe pelo controle de um termógrafo. Este equipamento é quem irá fazer a leitura da rampa de aquecimento, tempo de permanência na temperatura indicada e finalmente o resfriamento.

A partir destes dados, computados em função do porte da peça a ser pintada, é que se define a velocidade na qual deverá funcionar o transportador automático podendo esta última variar de 01 a 6,0 metros por minuto, permitindo assim a perfeita polimerização do pó aplicado.